CAMPANHA DA FRATERNIDADE 1976

O objetivo geral: Insistir na ideia de comunidade, dizendo sempre de novo e de muitas maneiras que só seremos irmãos, se nos convertermos em comunidades vivas… O ser humano precisa da comunidade, tende para a comunidade, personaliza-se na comunidade… Queremos rever as diversas comunidades, que devemos formar e integrar: a Família, a Escola, a Comunidade Civil e Política, a Empresa, a Paróquia, a Comunidade Eclesial de Base… .

Na campanha de 1976 encontramos no tema, no lema e no objetivo geral uma eclesiologia bem definida: Igreja comunhão. Esta foi a primeira campanha que conseguiu agir além das fronteiras da Igreja, tendo grande repercussão. Foram compostas músicas populares sobre ela. As músicas de ofertório (Sabes, Senhor) e comunhão (É bom estarmos juntos) são cantadas com entusiasmo até os nossos dias.

 

Carta de Sua Santidade o Papa Paulo VI

 

Amados Filhos:

No momento em que estamos ainda impregnados do espírito e das graças do Ano Santo, eis abrir-se à nossa frente o tempo litúrgico da Quaresma; tempo sobremaneira oportuno para um aprofundamento espiritual em que todos e cada um são chamados a interrogar-se na oração e a agir.

Façamos, antes de mais, entrar em nós a verdade, a fim de rios prepararmos para reviver com a Igreja os Mistérios de Cristo sofredor, morto e ressuscitado por ela e por todos os homens.

É por isso, amadíssimos Filhos, que Nós “vos exortamos a não receberdes em vão a graça de Deus” (2Cor 6,1), que é Amor e dom de si; e queremos repetir-vos a recomendação que apresentávamos como uma das conclusões do Ano Santo: “…Amai-vos uns aos outros, Irmãos! Amai os homens que têm necessidade do vosso amor e do vosso serviço (cf. 1 Jo 4,19-21). Tem de ser a caridade fraterna e social, reavivada e multiplicada nas boas obras, que há de dar testemunho, não apenas da nossa fidelidade devotada ao Ano Santo, mas igualmente da sua fecundidade e atualidade, também no decorrer dos anos vindouros…”

Assim para participar da instauração da Justiça e para que o Evangelho do Amor possa ter as suas testemunhas, procurai compartilhar aquilo que possuís com os que vos rodeiam: o verdadeiro pobre descobre sempre alguém mais pobre do que ele. Depois, procurai tomar parte na entre ajuda das Igrejas unias às outras, respondendo ao apelo que vos for feito, como sói acontecer anualmente, a fim de auxiliar aqueles que, longe de vós, sofrem a fome e a miséria.

E então, purificados e generosos, estareis prontos para vos arraigar numa vida Pascal, uma vida segundo o espírito do Senhor Ressuscitado.

É com esta esperança, amados Filhos do mundo inteiro, que vos abençoamos,

em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.