CAMPANHA DA FRATERNIDADE 1998

O objetivo geral:

Colaborar com as pessoas na sua busca de realização; favorecer a criação e o fortalecimento de comunidades onde todos participem e se apóiem fraternalmente; estimular o exercício da cidadania, em favor de uma sociedade justa e solidária; promover ações para a erradicação do analfabetismo em sentido amplo.

 

Carta de Sua Santidade o Papa João Paulo II

Caríssimos Irmãos e Irmãs do Brasil:

Reconciliai-vos com Deus… Este é o tempo propício” (2Cor 5,20; 6,2).

Mais uma vez dirijo-me a todos os que me escutam pela rádio ou pela televisão para dar início à Campanha da Fraternidade deste ano, que tem como lema “Fraternidade e Educação: A Serviço da Vida e da Esperança”. Por uma feliz coincidência, todos os fiéis são chamados a redescobrir, neste segundo ano de preparação para o Jubileu do Ano Dois Mil, a virtude teologal da esperança, que — como diz o Apóstolo São Paulo – ­tiveram “conhecimento pela palavra da verdade, o Evangelho” (Cl 1,5).

A Quaresma abre-nos o caminho para a reconciliação com Deus, que é a verdadeira esperança dos redimidos em Cristo Jesus. Mas para atingir os homens de todos os tempos, não podemos perder de vista “as motivações sólidas e profundas — como já tive ocasião de dizer — para o empenho quotidiano na transformação da realidade a fim de a tornar conforme ao projeto de Deus” (TMA, 46). Uma educação que promova, de um lado, o crescimento e amadurecimento da pessoa humana em todas as suas dimensões: material, intelectual, moral, espiritual e religiosa; e por outro, a formação integral para a solidariedade e a cidadania, que combata a chaga do analfabetismo e seja promotora da paz e do bem-estar social vem a ser, sem dúvida, uma forma de exercer a caridade, servindo, ao mesmo tempo, de instrumento para que o indivíduo seja agente da sua própria formação. Mais ainda: uma benéfica e contínua obra educadora deve partir essencialmente da família, pois é nela donde se forja o mesmo futuro da sociedade. Faço votos de que as máximas instâncias da Nação se empenhem em favorecer meios e instituições para o progresso humano e cristão dos seus cidadãos.

Peço a Deus que ilumine o amado povo brasileiro, para que todos saibam ser “protagonistas da civilização do amor, a caminho. do Terceiro Milênio, trabalhando pela construção do País, plenos de solidariedade e sadia convivência”. Com estes auspícios vos abençoo,

Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.