Coleta da Solidariedade

O tempo da quaresma é um tempo penitencial e a verdadeira conversão deve produzir frutos (cf. Mt 3,8). O primeiro gesto concreto de conversão quaresmal para os discípulos missionários é a participação na vida da comunidade que serve e celebra. O segundo é a oferta de doação em dinheiro na co-leta da solidariedade, a ser realizada no Domingo de Ramos, dia 29 de março. Esta coleta é destinada aos pobres. Por meio deste gesto concreto, a Igreja dá um testemunho de fraternidade e aponta o caminho cristão da partilha (cf. At 2,45) para a superação das grandes desigualdades presentes nas estruturas da sociedade brasileira.

A coleta deste ano destina-se também a combater a fome no mundo, por meio de uma ação promovida pela Caritas, com o lema: “Uma família humana, pão e justiça para todas as pessoas”.

A coleta não se resume a mera doação. Deve expressar o empenho quaresmal de conversão.

As comunidades sejam exortadas para a vivência deste gesto concreto desde o início da quaresma.

É necessário motivar a comunidade para a coleta. A prestação de contas da destinação dos recursos dos Fundos Nacional e Diocesano de Solidariedade, a distribuição de envelopes, e dinâmicas segundo o critério da comunidade podem contribuir para uma coleta mais consciente e participativa.